Julgamento, nós fazemos e nós recebemos. O que você diria e como responderia à essas perguntas que na maioria das vezes chegam como afirmações?

Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.

julgamentoFrequentemente recebemos algum tipo de conselho em relação ao nosso tratamento. Seja sobre a última esperança de cura. Como devemos praticar atividade física. E o que devemos comer ou não. Alguém se identifica?

Uma vez ou outra isso não incomoda. Mas depois de vários anos com diabetes, nos tornamos repetitivos em responder que não é bem assim.

  1. Que chás não curam diabetes.
  2. Que se pode comer açúcar com critério (como qualquer pessoa) pois na verdade tudo se converte em açúcar (inclusive o que é salgado).
  3. Que estar gordo não é exatamente culpa do que se come e que estar magro não quer dizer que se está descompensado. E por ai vai…

Não infira pelo que você vê. Pergunte.

Parece que o diabetes é visto como algo simples de cuidar. Bom, não sei se é novidade para alguém: diabetes não é só furar o dedo e tomar insulina e não é tão fácil de cuidar. Inclusive por ser uma doença progressiva, que ao longo dos anos pode trazer alguns outros desafios.

Por se pensar que ele é simples, parece que se perde a noção de sua complexidade e da gravidade da doença. De tal forma que as pessoas pensam que apenas cuidar da alimentação e fazer atividade física são necessários.

A verdade é que complexo, é necessário o auxílio de uma equipe multidisciplinar para apoiar o tratamento. Sendo que a ciência está sempre evoluindo, mas nem sempre se tem todas as respostas. Além da equipe médica e familiares, ajuda muito ter amigos que também tem diabetes.

Eles nos ajudam no enfrentamento das situações do dia a dia. Perguntarmos como fazem com os medicamentos quando vão viajar. Como contam para o parceiro que eles têm diabetes. Para pedir socorro quando o último frasco de insulina cai no chão e quebra as 3h da manhã. Ou quando o despertador toca e você constata que está com hiperglicemia.

Não julgue o que você não conhece muito bem. Quem tem diabetes dificilmente vai querer te mostrar todos os desafios que passa todos os dias. Ninguém quer viver tendo que falar do diabetes o tempo todo, se justificando das razões de poder ou não fazer tal coisa.

Lembre-se que quem tem diabetes faz tudo que alguém tem diabetes faz mais o tratamento que é contínuo e demanda atenção constante. Sendo que em questão de minutos, a glicemia pode mudar. E uma mudança brusca pode causar a morte. Fácil? Não, mas é possível. 🙂

De repente é apenas ouvindo sem julgamentos e acolher quem se escuta.

Toda ajuda é bem-vinda. Mas ajudar não é achar que você sabe o que é melhor pro outro, não é dizer o que te parece certo. Ajudar é perguntar para o outro como você pode ser útil, se ele precisa de ajuda e deixar que ele responda como você pode ajudá-lo.

Vamos juntos com ouvidos e corações abertos?